terça-feira, 30 de outubro de 2012

Roda dos alimentos - 1.º Ciclo


Cartaz Puzzle - 4.º ano


A evolução da comunicação - 3.º ano

Durante a exploração do tema "A evolução da comunicação", os alunos do 3.º ano quiseram perceber como     funcionam algumas destas formas de falar.
Explorámos o Código Morse e criámos um telefone com copos e fios. Foi muito divertido e educativo.  



Eu ensino... O Antigo Egito - 4.º ano

Após uma aula introdutória sobre a História, os alunos do 4.º ano ficaram muito curiosos sobre o Antigo Egito. Decidiram, então, fazer um trabalho de pesquisa sobre este tema.
Conseguiram saciar alguma da curiosidade e apresentaram trabalhos fantásticos. Parabéns!  







quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Trabalho Projeto 3.º Ano - "À descoberta da minha localidade - Covilhã"

Foi proposto à turma do 3.º ano a criação de um trabalho de pesquisa sobre a cidade da Covilhã. Com muito esforço e dedicação (e alguns nervos à mistura!) apresentaram excelentes trabalhos que honram esta bela cidade.
A todos muitos parabéns!
Aqui ficam estes trabalhos.

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Padrões com figuras geométricas - 1.º ano


Esta semana estivemos a relembrar as figuras geométricas e nada melhor que construirmos um padrão com as mesmas para aprendermos a desenhá-las.

Espreitem-nas lá e vejam como ficaram bonitas!











Os traquinas do 1º ano 

terça-feira, 23 de outubro de 2012

A árvore do outono



Agora que estamos no outono decidimos trazer para a nossa sala um bocadinho da natureza e embelezámo-la com o nosso trabalho, dedicação e com os frutos que trouxemos das nossas casas.


Os traquinas do 1ºano

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Panfletos - Cuidados com o Sol, Prevenção de Incêndios e Primeiros-Socorros


Relógios - 3.º ano



Frutos de outono do 2º Ano


Poemas - 4.º ano


Foi proposto à turma do 4.º ano a criação de uma poesia. Foi difícil arranjar as rimas, mas ficaram umas belas pérolas!  

Academias, piano, Ballet,
São muitos afazeres.
 Estou sempre muito ocupada,
Sem tempo para os deveres.

Notas, pautas e colcheias,
Tantas voltas, saltos e piruetas,
Que fico a fazer caretas.

Os olhos fitam a partitura,
Quando o piano vou tocar.
Pouso as mãos nas teclas
As cordas começam a vibrar.

Catarina Dias 

Na escola estamos a aprender
Os números as letras e o mais.
Divertido é que aprendemos a ler
Livros, revistas e jornais.

Eu adoro a minha escola,
E os meus amigos também.
Levo ao ombro a sacola,
Sem ajuda de ninguém.

Lápis e papel
Borracha e caneta
Afia e pincel
Livro e caderneta

Vestidos de azul e verde
De saia ou calção.
Esta é a escolinha,
Que trago no coração

Já estou no quarto ano
O tempo passa a correr
Mas as aventuras desta escola
Nunca me vou esquecer.

 Joana Lobato Pereira

Gostava de ter um pardal,
ou pelo menos um pássaro.
Ou simplesmente um animal,
que não seja raro.

Quando estou de férias
com outras pessoas jogo à bola.
Começo a estudar matérias
quando  começa a escola.

No inverno,
fico em casa dos meus avós.
Às vezes levo para lá o meu caderno
que pena não fazerem filhós.

João Resende 


As festas são como contas,
Temos de andar sempre a pensar.
Parecemos umas baratas tontas,
Sempre a rimar.

Temos de andar a ensaiar,
E a preparar.
Mal temos tempo para brincar,
Que a azar!

Estamos sempre a trabalhar,
É uma animação.
E não conseguimos parar,
Porque estamos sempre a malhar.

Maria Ruiz

A nave é pequena,
É bastante engraçada.
É muito complicada,
É redonda com duas antenas.

O Pedro ficou assustado,
Porque estava maravilhado.
Um pequeno ser da nave saiu,
Ele ficou encantado.

O ser era verde com antenas.
Mas não tenha pena.
Três olhos tem,
É um ser do além.

O Pedro ficou a pensar,
Como podia explicar.
O que tinha avistado,
Era um ser complicado!

Rodrigo Carvalho

Os números são da matemática,
Grandes ou pequenos.
É quase igual à gramática,
Temos contas de mais ou de menos.

De dividir ou de vezes,
Também temos numeração romana.
E passamos meses,
A aprender numeração muçulmana.

Os números naturais,
São meus amigos.
São como animais
Foram anos bem vividos.
  
 Rodrigo Gomes




terça-feira, 16 de outubro de 2012

Os Ditongos



Depois de termos aprendido todas as vogais, iniciámos o estudo dos ditongos com a canção "Os ditongos a cantar", de Maria de Vasconcelos. Posteriormente, e ao longo da semana realizámos diversas atividades de leitura e escrita com os mesmos, as quais queremos partilhar convosco.








Os traquinas do 1º ano

sábado, 13 de outubro de 2012

Experiências - 2.ºAno

"Foguete voador": O foguete anda na água com a ajuda de detergente da loiça.


"A garrafa furada":  A pressão dentro da garrafa é menor que a pressão fora da garrafa e é por isso que a água não cai mesmo com a garrafa furada. Quando se tira a tampa a pressão fora da garrafa  empurra a água e esta sai pelos furos da garrafa.



"Monstro de Espuma": Quando se mistura vinagre com bicarbonato de sódio, liberta-se um gás chamado dióxido de carbono. Este cria bolhas no vinagre, que reagem com o detergente líquido, produzem espuma. A reação do líquido da garrafa produz tanta espuma, que ela acaba por sair pela boca do monstro.




" A caneta mágica" - Ao esfregar a caneta no cachecol ela fica carregada de eletricidade estática e atrai os pedacinhos de papel. 

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Festa das vogais - 1.º ano


Nada melhor que iniciar mais uma semana de aulinhas a festejar. Hoje após termos aplicado os nossos conhecimentos de língua portuguesa, que fomos adquirindo ao longo do mês de setembro, as nossas “vogais” tiveram direito a uma pequenina festa com música, dança e até um bolinho!
A partir de hoje já estamos um bocadinho mais crescidos no mundo mágico da leitura e da escrita, pois para além de já identificarmos e lermos todas as vogais, também já as escrevemos e desenhamos MUITO BEM.





PARABÉNS aos Traquinas do 1.º ano

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Experiência - Mar de Cores - 3.º e 4.º ano


Hoje, a turma do 3.º e 4.º ano, fez uma experiência que fazia lembrar um mar de cores!  
Num recipiente deitámos leite e algumas gotas de corante alimentar.   



Depois molhámos um palito em detergente e deitámos uma gota no leite… E os corantes “explodiram”. Deitámos mais uma gota e aconteceu outra explosão!
Melhor que a explicação é um pequeno vídeo que fizemos.  


Explicação 
O leite é essencialmente constituído por água, mas também por proteínas e gorduras.
Quando colocamos os corantes na superfície do leite, eles não se misturam - cada corante forma uma mancha separada da outra.
No momento em que colocamos o detergente dentro das manchas, elas parecem explodir! Isto acontece porque o detergente quebra as forças entre as proteínas e as gorduras e enfraquece a tensão superficial, fazendo as gorduras movimentar-se.
A tensão superficial acontece porque as moléculas de leite na superfície sofrem um grande atração entre elas. No interior do líquido, todas as moléculas do leite sofrem essas mesmas forças de atração, mas em todas as direções. As moléculas de leite na superfície sofrem a atração apenas das moléculas na horizontal e das outras que estão abaixo, já que em cima tem apenas ar.
Como o número de moléculas que se atraem é menor, existe uma "compensação": uma força de atração maior acontece na superfície, formando quase uma "pele" acima do leite. 
É a chamada TENSÃO SUPERFICIAL. O detergente consegue ROMPER a tensão superficial e as cores explodem! E depois misturam-se formando padrões de cores incríveis quando se movimenta o cotonete.